10 coisas que o seu cérebro te pediria, se ele pudesse falar

Publicado originalmente em forbes.com

O seu cérebro não consegue falar exatamente do que ele precisa, mas a neurociência pode falar por ele. Estudos mostram que um cérebro saudável e feliz precisa de algumas coisas para funcionar de maneira ideal para que você consiga construir uma carreira bem-sucedida. Quanto mais você atender a essas necessidades, maiores serão as chances de atingir saúde e sucesso, aumentando, também, a trajetória de sua carreira. Abaixo, listamos 10 coisas que seu cérebro te pediria para se manter saudável, se ele pudesse falar:

Aumente o fluxo de sangue para que eu possa funcionar em minha capacidade total.

Estudos mostram que o exercício aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro. Seu cérebro precisa de sangue para manter sua energia, para pensar e ser criativo. O exercício aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro, de acordo com uma pesquisa que foi realizada com pessoas com leve comprometimento cognitivo conduzida pelo autor Tsubasa Tomoto e publicada pelo Journal of Alzheimer Disorders.

Não precisa ser muito: pequenos períodos de atividade física aumentam o fluxo sanguíneo, o que, por sua vez, aumenta a sua energia e limpa sua mente. De acordo com o VibrantDoc, um coletivo formado por profissionais de saúde que tem como objetivo a melhoria da qualidade de vida, o exercício também desencadeia a liberação de fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), uma proteína que mantém o cérebro resiliente e cada vez mais forte. Então, se você estiver trabalhando cansado ou frustrado, e se for possível, faça uma série de flexões e abdominais, vista suas roupas de treino e faça exercícios no parque ou corra ao redor do quarteirão para desestressar.

Faça algumas pausas para que eu possa pensar com mais clareza

A regra 20-20-20 diz que para cada 20 minutos gastos olhando para a tela, você faz uma pausa de 20 segundos e olha para algo a 20 pés (ou seis metros) de distância, o que relaxa os músculos oculares por 20 segundos e dá ao cérebro uma pausa muito bem-vinda. Respirar fundo durante o dia também absorve os efeitos cumulativos do estresse.

Estudos mostram que quando você faz um pequeno intervalo entre as reuniões, e se alonga, olha pela janela, faz um lanche, caminha ao redor do quarteirão, isso evita que o estresse aumente e o cérebro tenha a chance de se reiniciar. Além disso, um estudo conduzido pelo pesquisador S. Kim e publicado pela American Psychological Association mostra que pausas curtas ajudam seu cérebro a aprender novas habilidades.

Mostre-me o panorama geral para que eu possa manter uma perspectiva positiva.

De acordo com a autora Barbara Fredrickson, que escreveu o livro Positividade, visualizar a situação como um todo permite que seu cérebro visualize os aspectos positivos de seu dia de trabalho. Pense em uma câmera. Você pode substituir as lentes de aumento que focam nos fatores de estresse, colocando uma lente grande angular que permite ver as melhores possibilidades.

Evite olhar para os fatores ruins sozinhos, fora de perspectiva; procure o lado positivo de uma situação negativa; dê importância ao feedback positivo; foque em soluções ao invés de problemas; identifique a oportunidade em um desafio de trabalho.

Fale comigo para que trabalhemos em conjunto pelos nossos interesses mútuos.

A princípio, isso pode parecer estranho, mas não é. Um estudo conduzido pelo pesquisador Ethan Kross e publicado pelo Journal of Personality and Social Psychology mostrou que conversar com você em segunda pessoa (como se você fosse um amigo te aconselhando e chamando pelo seu nome)  é um mecanismo de autorregulação que cria distância psicológica da raiva ou frustração. Tentar dialogar com seus estressores dessa maneira faz com que você se sinta mais calmo e com a mente mais aberta.

Sorrir mais vai fazer com que eu me sinta melhor.

Sorrir pode deixar seu cérebro mais feliz, só pelo fato de você mover os músculos faciais, de acordo com uma pesquisa conduzida pelo autor Fernando Marmolejo-Ramos da University of South Australia. Às vezes nos sentimos mal não só porque as expressões faciais refletem como nos sentimos, mas porque elas também contribuem com a maneira que nos sentimos.

Quando você sorri, mesmo que não esteja se sentindo tão feliz, isso estimula a amígdala, o centro emocional do cérebro. Por sua vez libera neurotransmissores para estimular um estado emocionalmente positivo. Quando seus músculos dizem que você está feliz, é mais provável que você veja o mundo de uma forma positiva.

Meditação e espiritualidade me ajudam a preservar meu desempenho.

Um estudo conduzido pelo pesquisador Dharma Singh Khalsa e publicado pelo Journal of Alzheimer’s Disease mostra que a aptidão espiritual mantém seu cérebro aguçado e previne seu declínio. Os cientistas dizem que a maneira mais eficaz de construir o bem-estar espiritual é praticar mindfulness usando técnicas como meditação e respiração consciente.

Meditar por 12 minutos reduz os fatores de risco associados à doença de Alzheimer e beneficia o desempenho cognitivo. Inspirar profundamente pelo nariz e expirar pela boca, se concentrando em cada inspiração e expiração (seguindo sua respiração até um ciclo completo desde o início quando os pulmões estão cheios até quando estão vazios) te ajuda a focar no momento presente. Isso vai te ajudar a desempenhar a suas funções num dia de trabalho.

Você pode me reiniciar, mudando seus pensamentos.

Seu cérebro tem a capacidade de mudar sua própria estrutura quando você executa uma ação diferente em resposta a uma mudança de cenário. Estudos mostraram que novos hábitos têm o potencial de remodelar as células nervosas e mudar a maneira como o cérebro funciona. Por exemplo, você tem o hábito de acordar sobressaltado todas as manhãs. Ao praticar atividades relaxantes e calmantes como meditação, ioga, tai chi, respiração profunda, é possível reprogramar intencionalmente seu sistema nervoso parassimpático – seu descanso e resposta digestiva. Em apenas cinco ou 10 minutos por dia, essas práticas beneficiam seu sistema nervoso parassimpático. Com o tempo, você pode treinar seu cérebro para permanecer calmo mesmo em circunstâncias turbulentas.

Me alimente bem, porque uso mais energia do que qualquer outra parte do corpo.

Sem combustível suficiente, meus neurônios não conseguem se comunicar adequadamente entre si, prejudicando a função, e então estou sem os recursos necessários. De acordo com o VibrantDoc, o ômega três é importante. Fontes ricas nesse ácido graxo são os peixes, por exemplo. Os nutricionistas também enfatizam que a estratégia mais importante é seguir um padrão alimentar saudável que inclua frutas, vegetais de folhas verdes, legumes e grãos.

Um estudo recente organizado pela autora Simone Radavelli-Bagatini e publicado no Clinical Nutrition Journal mostrou que as pessoas que comeram 470 gramas de frutas e vegetais diariamente tiveram níveis de estresse 10% mais baixos do que aqueles que comeram 230 gramas de produtos frescos por dia. Os nutrientes e vitaminas das frutas e vegetais foram correlacionados com níveis mais baixos de estresse, melhoraram o humor e, também, o bem-estar, melhoram o humor e também o bem-estar mental.

Mantenha-se conectado com outras pessoas para melhorar minha saúde.

Um estudo realizado com idosos pela equipe da pesquisadora Cynthia Felix e publicado no Journals of Gerontology mostra que as pessoas que são voluntárias, frequentam aulas ou se reúnem com amigos pelo menos uma vez por semana têm cérebros mais saudáveis.

O engajamento social dá ao seu cérebro uma massa cinzenta mais robusta para prevenir a perda de memória e demência. Ele permite que você reconheça rostos e emoções familiares, tome decisões e se sinta recompensado ao se relacionar com outras pessoas. Para evitar o isolamento social, é importante manter suas relações sociais vivas, maximizar as conexões e manter contato com outras pessoas.

Durma bastante, porque trabalho 24 horas por dia, 7 dias por semana e fico irritado quando não durmo o suficiente.

Mesmo quando você está dormindo, seu cérebro continua acordado. Ele continua ouvindo, sentindo e lidando com fatores de estresse para te manter em segurança. Ele resolve problemas, toma decisões e pensa nas possibilidades mesmo quando você não está ciente delas. Este órgão “sempre ligado” é tão dedicado que nunca faz uma pausa ou férias. Embora ainda esteja em funcionamento, o sono é uma forma de seu cérebro se se reorganizar depois de um dia inteiro.Durante o sono, acontecem os reparos de que o cérebro precisa.

Um estudo realizado pelo Departamento de Psicologia da Universidade de York e liderado pelo Dr Marcus Harrington mostrou que a privação de sono prejudica sua capacidade de impedir que pensamentos inoportunos surjam em sua cabeça. Além disso, uma pesquisa realizada pela Sleep Research Society  pelo pesquisador Z. Krizan sugere que a interrupção do sono prejudica sua capacidade de lidar com o estresse e desencadeia a raiva em sua vida diária. É como se seu cérebro ficasse desajustado quando não consegue o descanso de que precisa.


Fonte: https://www.forbes.com/sites/bryanrobinson/2021/06/14/if-your-brain-could-speak-it-would-request-10-things-for-career-success/?sh=29ef21a4321c


Para você que precisa aprofundar o entendimento sobre as emoções e a cognição humana a partir de uma perspectiva neurocientífica, o curso Imersão em Neurociência é imperdível!

neurociencia
Conheça mais sobre o curso clicando aqui!