Construindo Resiliência

Publicado originalmente no site da American Psychological Association

Todos nós enfrentamos traumas, adversidades e passamos por momentos desafiadores. Saiba como se adaptar a situações de mudança e levante-se ainda mais forte do que antes.

Imagine que você vai fazer uma viagem de jangada no rio. O seu mapa mostra que você encontrará corredeiras e curvas inevitáveis junto com águas lentas e rasas. Como você pode ter certeza da sua capacidade de atravessar com segurança as águas turbulentas e lidar com quaisquer problemas inesperados decorrentes do desafio?

Talvez você precise do apoio de navegadores mais experientes ao planejar sua rota ou ter a companhia de amigos de confiança ao longo do caminho. Talvez você leve um colete salva-vidas extra ou considere usar um barco mais forte. Com as ferramentas e o suporte correto, uma coisa é certa: você não apenas supera os desafios de sua aventura no rio. Você também vai emergir com mais confiança e coragem.

 

O que é resiliência?

 

A vida pode não vir com um mapa, mas todos passarão por reviravoltas. Desde desafios cotidianos a eventos traumáticos com impacto mais duradouro, como a morte de um ente querido, um acidente que altera a vida ou uma doença grave. Cada mudança afeta as pessoas de maneira diferente, trazendo uma onda de pensamentos, emoções fortes e incertezas. Ainda assim, as pessoas geralmente se adaptam bem com o tempo a situações de mudança de vida e situações estressantes, em parte, graças à resiliência.

Os psicólogos definem a resiliência como o processo de adaptação no enfrentamento de adversidades, traumas, tragédias, ameaças ou fontes significativas de estresse, como problemas familiares e de relacionamento, sérios problemas de saúde ou fatores de estresse financeiros e no local de trabalho. Por mais que a resiliência envolva “se recuperar” dessas experiências difíceis, ela também pode envolver um crescimento pessoal profundo.

Embora esses eventos adversos, assim como as águas turbulentas dos rios, sejam certamente dolorosos e difíceis, eles não precisam determinar o resultado de sua vida. Existem muitos aspectos de sua vida que você pode controlar, modificar e crescer. Esse é o papel da resiliência. Tornar-se mais resiliente não apenas o ajuda a superar circunstâncias difíceis, mas também o capacita a crescer e até mesmo a melhorar sua vida ao longo do caminho.

 

O que resiliência não é

 Ser resiliente não significa que uma pessoa não terá dificuldade ou angústia. Pessoas que sofreram grandes adversidades ou traumas em suas vidas comumente experimentam dor emocional e estresse. Na verdade, o caminho para a resiliência provavelmente envolverá considerável sofrimento emocional.

Embora certos fatores possam tornar alguns indivíduos mais resilientes do que outros, a resiliência não é necessariamente um traço de personalidade que apenas algumas pessoas possuem. Pelo contrário, a resiliência envolve comportamentos, pensamentos e ações que qualquer pessoa pode aprender e desenvolver. A capacidade de aprender resiliência é um dos motivos pelos quais as pesquisas mostram que é uma característica comum, não extraordinária. Um exemplo é a resposta de muitos americanos aos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 e aos esforços de indivíduos para reconstruir suas vidas após a tragédia.

Aumentar sua resiliência é como construir um músculo: requer tempo e intencionalidade. A resiliência é constituída por quatro componentes principais: conexão, bem-estar, pensamento saudável e propósito. Focar no aprimoramento dessas características pode te capacitar a resistir e aprender com experiências difíceis e traumáticas. Para aumentar sua capacidade de resiliência às intempéries e superar as dificuldades, use essas estratégias.

 

Construa conexões

Priorize relacionamentos

Conectar-se com pessoas empáticas e compreensivas pode lembrá-lo de que você não está sozinho em meio às dificuldades. Concentre-se em encontrar pessoas confiáveis ​​e compassivas que validem seus sentimentos, o que apoiará a habilidade de resiliência.

A dor de eventos traumáticos pode levar algumas pessoas a se isolarem, mas é importante aceitar a ajuda e o apoio daqueles que se preocupam com você. Quer você vá a um encontro romântico semanal com seu cônjuge ou planeje um almoço com um amigo, tente priorizar o contato genuíno com pessoas que se importam com você.

 

Junte-se a um grupo

Junto com os relacionamentos pessoais, algumas pessoas descobrem que ser ativo em grupos cívicos, comunidades religiosas ou outras organizações locais fornece apoio social e pode ajudá-lo a recuperar a esperança. Grupos de pesquisa em sua área que possam lhe oferecer apoio e um senso de propósito ou alegria quando você precisar.

 

Promova o bem-estar

Cuide do seu corpo.

O autocuidado pode ser uma palavra da moda, mas também é uma prática legítima para a saúde mental e o desenvolvimento de resiliência. Isso porque o estresse é tanto físico quanto emocional. Ter hábitos saudáveis, como nutrição adequada, sono em dia, hidratação e exercícios regulares, pode fortalecer seu corpo para se adaptar ao estresse e reduzir o impacto de emoções como ansiedade ou depressão.

 

Pratique a atenção plena

Um diário, ioga e outras práticas espirituais como oração ou meditação também podem ajudar as pessoas a construir conexões e restaurar a esperança, e pode prepará-las para lidar com situações que exigem resiliência. Ao fazer um diário, orar, você reflete sobre os aspectos positivos de sua vida e relembrar as coisas pelas quais você é grato, mesmo durante as provações pessoais.

 

Evite saídas negativas

Pode ser tentador mascarar sua dor com álcool, drogas ou outras substâncias, mas é como colocar um curativo em uma ferida profunda. Ao invés disso, concentre-se em dar a seu corpo recursos para controlar o estresse, em vez de tentar eliminar totalmente a sensação de estresse.

 

Seja proativo

É útil reconhecer e aceitar suas emoções durante os tempos difíceis, mas também é importante fazer perguntas para promover a autodescoberta. Por exemplo: “O que posso fazer a respeito de um problema em minha vida?” Se os problemas parecerem grandes demais para serem resolvidos, dividi-los em partes pode facilitar a resolução.

 

Por exemplo, se você foi despedido do trabalho, pode ser difícil convencer seu chefe de que foi um erro deixá-lo ir. Mas você pode passar uma hora por dia desenvolvendo seus principais pontos fortes ou trabalhando em seu currículo. Tomar a iniciativa o lembrará de que você pode reunir motivação e propósito mesmo durante os períodos estressantes de sua vida, aumentando a probabilidade de você se levantar novamente em momentos difíceis.

 

Mova-se em direção a seus objetivos

Desenvolva algumas metas realistas e faça algo regularmente que lhe permita avançar em direção às coisas que deseja realizar, mesmo que pareça uma pequena realização. Em vez de se concentrar em tarefas que parecem inatingíveis, pergunte-se: “O que sei que posso realizar hoje que me ajuda a seguir na direção que desejo?” Por exemplo, se você está lutando contra a perda de um ente querido e deseja seguir em frente, pode ingressar em um grupo de apoio ao luto na região onde mora.

 

Procure oportunidades de autodescoberta

Muitas vezes as pessoas descobrem que cresceram em algum aspecto como resultado de uma luta. Por exemplo, depois de uma tragédia ou sofrimento, as pessoas relataram relacionamentos melhores e uma maior sensação de força, mesmo quando se sentem vulneráveis. Isso pode aumentar seu senso de autoestima e aumentar sua apreciação pela vida.

 

Abrace pensamentos saudáveis

Manter as coisas em perspectiva

A maneira como você pensa pode ter um papel importante em como você se sente e em quão resistente você é quando se depara com obstáculos. Tente identificar áreas de pensamento irracional, como tendência a superestimar as dificuldades ou presumir que o mundo está te perseguindo, e adote um padrão de pensamento mais equilibrado e realista. Por exemplo, se você se sentir que não vai dar conta de um desafio, lembre-se de que o que acontecer com você não é um indicador de como será o seu futuro e que você não estará desamparado. Você pode não ser capaz de mudar um evento altamente estressante, mas pode mudar a forma como interpreta e reage a ele.

 

Aceite a mudança

Aceite que a mudança faz parte da vida. Certos objetivos ou ideais podem não ser mais alcançáveis ​​como resultado de situações adversas em sua vida. Aceitar circunstâncias que não podem ser alteradas pode ajudá-lo a se concentrar nas circunstâncias que você pode alterar.

 

Tenha esperança

É difícil ser positivo quando a vida não está indo conforme planejado. Uma perspectiva otimista permite que você espere que coisas boas lhe aconteçam. Tente visualizar o que você quer, ao invés de se preocupar com o que teme. Ao longo do caminho, observe todas as maneiras sutis pelas quais você começa a se sentir melhor ao lidar com situações difíceis.

 

Aprenda com seu passado

Ao olhar para trás e para ver quem ou o que foi útil em momentos de angústia anteriores, você pode descobrir como pode reagir com eficácia a novas situações difíceis. Lembre-se de onde você conseguiu encontrar forças e pergunte-se o que aprendeu com essas experiências.

 

Procurando ajuda

Obter ajuda quando você precisa é crucial para construir sua resiliência.

 

Para muitas pessoas, usar seus próprios recursos e os tipos de estratégias listadas acima podem ser suficientes para construir sua resiliência. Mas, às vezes, um indivíduo pode ficar preso ou ter dificuldade em progredir no caminho da resiliência.

 

Um profissional de saúde mental, como um psicólogo, pode ajudar a desenvolver uma estratégia apropriada para seguir em frente. É importante obter ajuda profissional se sentir que uma experiência de vida traumática ou estressante está te impedindo de explorar o seu potencial ou realizar as atividades básicas da vida diária. Lembre-se de que diferentes pessoas tendem a se sentir confortáveis ​​com diferentes estilos de interação. Para obter o máximo de seu relacionamento terapêutico, você deve se sentir à vontade com um profissional de saúde mental ou em um grupo de apoio.

 

O importante é lembrar que você pode contar com outras pessoas nessa jornada. Embora você possa não ser capaz de controlar todas as suas circunstâncias, você pode crescer concentrando-se nos aspectos dos desafios da vida que você pode enfrentar com o apoio de entes queridos e de profissionais de confiança.

 

Fonte: apa.org