11 dicas da Neurociência para melhorar a gestão

Melhore os seus resultados aplicando conhecimentos da neurociência

Saiba como utilizar os conhecimentos neurocientíficos para melhorar o clima e atingir melhores resultados.

A neurociência pode trazer muitos insights que podem melhorar o ambiente de trabalho, o que vai impactar diretamente nos resultados da sua organização. Se você ainda não sabe como utilizar a neurociência para fazer a gestão dos seus negócios, trouxemos nesse texto algumas maneiras práticas de como utilizar o conhecimento científico para melhorar os processos e resultados do seu time.

1 – Conte a história da sua organização

As histórias nos ajudam a nos conectar com outras pessoas. É através delas que criamos uma maneira de compartilhar nossas experiências com outras pessoas.

Quando contamos uma história envolvente, o cérebro é ativado e ocorre a liberação da ocitocina. Este neurotransmissor ajuda a formar conexões no cérebro que vão estabelecer confiança e vínculo. A liberação de oxitocina através de histórias emocionantes também nos leva a ter empatia com os outros.

Essas histórias ajudam os membros das equipes a se conectarem entre si e, também, a se conectarem com a missão da empresa.

Os líderes podem usar analogias, metáforas ou até mesmo temas clássicos da literatura, como a jornada do herói, para ilustrar como a empresa evoluiu, superou desafios e se tornou o que é hoje.

 2 – Peça para que eles compartilhem

Os colaboradores também tem histórias sobre si mesmos e seu desempenho no trabalho. Estimule-os a construir uma conexão com a empresa, através da sua própria história: o que eles fazem, onde se encaixam e o que os motiva.

Os funcionários costumam costurar a sua experiência junto a trajetória da empresa, a partir da história da empresa.  

Embora nenhum funcionário seja perfeito, é importante ajudá-lo a criar uma história geral positiva sobre seu desempenho no trabalho.

Um primeiro passo importante para contar essa história é evitar a culpa e a vergonha, caso o colaborador já tenha tomado alguma decisão que foi prejudicial para a empresa. E o processo, também, inclui o compartilhamento de informações positivas junto com as negativas.

3 – Deixe o seu time confortável

Muitos de nós provavelmente já teve a experiência de algo em nosso ambiente profissional que nos ajudou a focar ou nos distraiu de algo que estávamos fazendo.

É importante criar um espaço de trabalho que permita que as pessoas se concentrem.

Diferentes estratégias para melhorar o espaço podem incluir organizar o escritório, reduzir a aglomeração aumentando o espaço entre as estações de trabalho, proporcionando espaços reservados para tarefas mais complexas, disponibilizando assentos confortáveis ​​e dispositivos que ajudem na ergonomia e no armazenamento, para que as pessoas organizem seus espaços físicos, bem como seus espaços virtuais e eletrônicos.

Uma mente que consegue relaxar em um ambiente de trabalho confortável, seguro e estruturado é uma mente mais produtiva.

4 – Traga a diversão para a firma

Para trazer alterações à rotina de trabalho, como ensinar novas habilidades ou mudanças de comportamento é importante que haja pelo menos um pouco de diversão.

Utilizar jogos e aprendizagem experiencial pode ativar emoções e pensamentos.

Esse tipo de aprendizado pode criar circuitos neuronais múltiplos e aumentar e fortalecer as conexões no cérebro, pois ativa o corpo, o sistema límbico e os aspectos de processamento de informações do cérebro. A ativação de muitos circuitos ajuda as pessoas a focar e reter melhor as informações.

Empresas como o Google são conhecidas pela diversão que tentam trazer ao trabalho e pelo quanto incentivam as amizades. Dessa forma, eles estão tentando melhorar o engajamento e a cultura da empresa usando o cérebro social.

O gerenciamento de aprendizagem e mudança também pode usar relacionamentos, a diversão e o cérebro social para melhorar os resultados.

Os líderes podem facilitar isso criando situações de trabalho hipotéticas; interpretando diferentes cenários; usando vídeos, músicas ou filmes divertidos; encontrando exercícios práticos que reforcem as habilidades; usando jogos para revisar as informações aprendidas; entre outras estratégias.

5 – Estruture-se

Para evitar os sinais de ameaça no cérebro, os líderes precisam ser consistentes na forma como se comportam e criam o ambiente de trabalho.

Eles devem aplicar todas as regras e expectativas igualmente, exibir capacidade de adaptação e tratar os colaboradores de maneira justa. Devem preparar as equipes para as mudanças na empresa e no ambiente físico de trabalho e dar-lhes subsídios para que se adaptem à essas mudanças.

O cérebro tem menos probabilidade de ficar em alerta máximo quando o ambiente é previsível e seguro.

Respeito, confiança e relacionamento são alguns dos principais fatores que influenciam a satisfação no trabalho. Segurança, proteção e estabilidade são fatores muito importantes para que os colaboradores fiquem satisfeitos.

A estrutura vem do ambiente físico, da cultura da empresa e dos líderes que expressam e controlam ambos. Quando todos os três são valorizados, a satisfação e o engajamento aumentam.

6 – Dê a oportunidade de se expressarem

Alguns líderes tentam ser cautelosos ao permitir que seus colaboradores falem livremente sobre a empresa. Mas os colaboradores provavelmente já estão falando sem que ele saiba.

Dar a chance de levantar questões ajudará a melhorar a inteligência emocional, vai capacitá-los e fornecer oportunidades para falar sobre resolução de conflitos e enfrentamento.

Os empregadores podem criar esse tipo de ambiente encorajando algumas práticas simples, porém eficazes:

Crie uma política de portas abertas onde os funcionários possam abordar quaisquer preocupações com os líderes; faça sessões de discussão onde os funcionários podem se reunir para falar sobre os problemas; crie uma caixa de sugestões ou pesquisas online; ofereça horários de almoço com a gerência; reconheça e recompense discussões abertas e mudanças em fóruns maiores ou plataformas de comunicação

7 – Incentive a boa alimentação e hábitos saudáveis

As empresas podem ajudar a promover a saúde do cérebro, ajudando os funcionários a ter uma saúde melhor.

Oferecer lanches saudáveis, seminários sobre assuntos de saúde, parcerias com academias e programas de ajuda aos tabagistas são formas de ajudar os funcionários a ter melhor saúde física, mental e cerebral.

8 – Movimente-se

Muitas empresas estão incluindo ginástica em suas rotinas diárias. Isso pode ser tão simples como realizar uma reunião enquanto estão caminhando ou fornecer aos funcionários bolas de ginástica.

Os funcionários em muitas empresas se sentem mais eficazes quando têm a oportunidade de fazer pausas e ter um tempinho livre para se levantar e se movimentar.

 9 – Crie experiências compartilhadas

Unir as pessoas de diversas equipes entre si e com a organização inteira promove o vínculo e a integração dentro da organização. Ter uma experiência compartilhada dá às pessoas a sensação de pertencer ao grupo.

O cérebro social é ativado, a ocitocina é liberada e os funcionários se sentem parte do grupo e da missão desse grupo. No final das contas, eles se sentem mais motivados e engajados.

Se relacionar e se sentir aceito é vital para sentir que faz parte do grupo.

As experiências compartilhadas não precisam ser eventos importantes. Frequentemente, as pessoas podem se sentir conectadas mesmo por meio de ações simples do cotidiano.

Algumas empresas agendam saídas para ir ao cinema, passear no parque ou participar de algum evento esportivo. Outras oferecem salas de jogos ou almoços especiais para estimular a amizade. Também é possível criar pequenas celebrações para reunir as pessoas.

10 – Reserve um tempo para reflexão

Ao ensinar novas habilidades ou delegar novas tarefas aos funcionários, reserve um tempo para que eles reflitam. O cérebro lida melhor com o trabalho e as informações quando elas são passadas em etapas rápidas e curtas.

Para melhorar a retenção de conhecimento ou desempenho no trabalho, é importante dar ao cérebro uma pausa da tecnologia ou outras distrações para permitir que os circuitos do cérebro sejam reforçados através da reflexão do que foi aprendido ou na maneira que a tarefa foi realizada.

11 – Fale sobre a neurociência

Ajudar os colaboradores a aprender e compreender os princípios da neurociência pode ajudá-los a inserir esses conhecimentos no seu cotidiano com mais frequência. Geralmente, as pessoas não desejam ou não conseguem fazer algo, a menos que tenham motivos para tanto.

É comum que as pessoas não gostem de mudanças.

Mesmo as pessoas que lidam melhor com elas provavelmente terão que trabalhar muito para acalmar o pânico que as mudanças podem produzir no cérebro. Ao tentar algumas dessas técnicas, certifique-se de que os funcionários tenham opções e saibam os motivos pelos quais essas coisas são importantes.

Fonte: http://gethppy.com


O curso Neurociência Aplicada ao Ambiente Corporativo aborda as principais descobertas e pesquisas originadas da aplicação da neurociência ao estudo do comportamento e desenvolvimento humanos.

Conheça mais sobre o curso clicando aqui!