Emoções e comportamento

Conheça os seis tipos de emoções básicas e seus efeitos no comportamento humano

Existem muitos tipos diferentes de emoções que influenciam a forma como vivemos e interagimos uns com os outros. Às vezes, pode parecer que somos dominados por essas emoções. As escolhas que fazemos, as ações que realizamos e as percepções que temos são influenciadas pelas emoções que estamos sentindo naquele momento.

Os psicólogos também tentaram identificar os diferentes tipos de emoções que as pessoas sentem. Algumas teorias diferentes surgiram para categorizar e explicar as emoções que as pessoas sentem.

Emoções básicas

Durante a década de 1970, o psicólogo Paul Eckman identificou seis emoções básicas. Ele sugeriu que as pessoas em todas as culturas humanas sentem essas emoções. As emoções que ele identificou foram felicidade, tristeza, nojo, medo, surpresa e raiva. Depois ele expandiu sua lista de emoções básicas para incluir emoções como orgulho, vergonha e excitação.

Combinando Emoções

O psicólogo criou uma “roda de emoções” que funciona de maneira semelhante a um círculo cromático. As emoções podem ser combinadas para formar diferentes sentimentos, assim como as cores podem ser misturadas para criar outros tons.

 

De acordo com essa teoria, as emoções mais básicas agem como blocos de construção. Emoções mais complexas são combinações dessas emoções mais básicas. Por exemplo, emoções básicas como alegria e confiança podem ser combinadas para criar amor.

Um estudo de 2017 sugere que existem muito mais emoções básicas do que se acreditava anteriormente. No estudo publicado pelos autores Alan S. Cowen e Dacher Keltner na revista científica Proceedings of National Academy of Sciences em setembro de 2017, os pesquisadores identificaram 27 categorias diferentes de emoção.

No entanto, ao invés de as emoções estarem separadas e serem distintas umas das outras, os pesquisadores descobriram que as pessoas transitam entre elas. Vamos ver alguns tipos básicos de emoções e entender o impacto que elas têm no comportamento humano.

Felicidade

De todos os tipos de emoções, a felicidade é a que as pessoas mais buscam. A felicidade costuma ser definida como um estado emocional agradável, caracterizado por sentimentos de contentamento, alegria, gratidão, satisfação e bem-estar.

A pesquisa sobre felicidade aumentou significativamente desde 1960 em várias disciplinas, incluindo o ramo da psicologia conhecido como psicologia positiva. Pode-se demonstrar felicidade através das ações:

  • Expressões faciais: sorrir
  • Linguagem corporal: postura relaxada
  • Tom de voz: falar de maneira alegre e agradável 

Embora a felicidade seja considerada uma das emoções humanas básicas, as coisas que pensamos que vão trazer felicidade são muito influenciadas pela cultura. Por exemplo, a cultura popular enfatiza que obter certas coisas, como comprar uma casa ou ter um emprego com uma boa remuneração, vai trazer felicidade.

Mas, na verdade, os fatores que contribuem para a felicidade são muito mais complexos e individualizados. Já faz algum tempo que as pessoas acreditam que a felicidade e a saúde estão conectadas. E as pesquisas têm apoiado a ideia de que a felicidade pode desempenhar um papel tanto na saúde física quanto mental.

A felicidade tem sido associada a vários fatores, incluindo maior longevidade e maior satisfação conjugal. Por outro lado, a infelicidade tem sido associada a uma variedade de mazelas na área de saúde.

Por exemplo, estresse, ansiedade, depressão e solidão têm sido associados a imunidade reduzida, maior ocorrência de inflamações e menor expectativa de vida. 

Tristeza

A tristeza é outro tipo de emoção definida como um estado emocional transitório caracterizado por sentimentos de decepção, luto e pesar, desesperança, desinteresse e humor abatido. 

Como outras emoções, a tristeza é algo que todas as pessoas sentem de vez em quando. Em alguns casos, as pessoas podem passar por períodos prolongados e severos de tristeza que podem se transformar em depressão. Existem várias maneiras de expressar tristeza:

  • Choro
  • Humor deprimido
  • Letargia
  • Afastamento social

O tipo e a gravidade da tristeza podem variar dependendo da causa. A maneira como as pessoas lidam com esses sentimentos também pode ser diferente.

A tristeza pode levar as pessoas a se envolverem em mecanismos de enfrentamento, como evitar outras pessoas, automedicar-se e ruminar pensamentos negativos. Na verdade, esses comportamentos podem exacerbar os sentimentos de tristeza e prolongar a duração da emoção.

Medo

O medo é uma emoção poderosa que também pode desempenhar um papel importante na sobrevivência. Quando você enfrenta algum tipo de perigo e sente medo, passa pelo que é conhecido como reação de luta ou fuga.

Seus músculos ficam tensos, sua frequência cardíaca e respiração aumentam e sua mente fica mais alerta, preparando seu corpo para fugir do perigo ou ficar e lutar. 

Essa resposta ajuda a garantir que você esteja preparado para lidar efetivamente com as ameaças em seu ambiente. Pode-se expressar medo das seguintes maneiras:

  • Expressões faciais: arregalar os olhos e puxar o queixo para trás
  • Linguagem corporal: tenta se esconder ou fugir da ameaça
  • Reações fisiológicas: respiração rápida e batimento cardíaco acelerado

Claro, nem todo mundo sente medo da mesma maneira. Algumas pessoas podem ser mais sensíveis ao medo e certas situações ou objetos podem ser mais propensos a desencadear essa emoção.

O medo é a resposta emocional a uma ameaça imediata. Também podemos desenvolver uma reação semelhante a ameaças que antecipamos ou mesmo a nossos pensamentos sobre perigos potenciais. Isso é o que geralmente chamamos de ansiedade. A ansiedade social, por exemplo, envolve um medo antecipado de situações sociais.

Por outro lado, algumas pessoas procuram situações que provoquem medo. Esportes radicais e outras emoções podem induzir ao medo, mas algumas pessoas parecem se desenvolver e até mesmo desfrutar de tais sentimentos.

A exposição repetida a um objeto ou situação de medo pode levar à familiaridade e aclimatação, o que pode reduzir os sentimentos de medo e ansiedade. 

Essa é a ideia por trás da terapia de exposição. Nesta modalidade, as pessoas são gradualmente expostas às coisas que as assustam de maneira controlada e segura. Eventualmente, os sentimentos de medo começam a diminuir.

Nojo

A repulsa é outra das seis emoções básicas originais descritas por Eckman. O nojo pode ser demonstrado de várias maneiras, incluindo:

  • Linguagem corporal: afastando-se do objeto de nojo
  • Reações físicas: vômito ou náusea
  • Expressões faciais: enrugar o nariz e enrolar o lábio superior

Essa sensação de repulsa pode surgir de várias coisas, incluindo gosto, visão ou cheiro desagradáveis. Pesquisadores acreditam que essa emoção evoluiu como uma reação a alimentos que podem ser prejudiciais ou fatais. Quando as pessoas cheiram ou experimentam alimentos estragados, por exemplo, nojo é uma reação típica.

Má higiene, infecção, sangue, podridão e morte também podem desencadear a reação de nojo. Essa pode ser a maneira que o corpo usa para evitar coisas que podem transmitir doenças transmissíveis. 

As pessoas também podem sentir repulsa moral quando observam outras pessoas se envolvendo em comportamentos que consideram desagradáveis, imorais ou malignos.

Raiva

A raiva pode ser uma emoção poderosa caracterizada por sentimentos de hostilidade, agitação, frustração e antagonismo em relação aos outros. Como o medo, a raiva pode desempenhar um papel na reação de luta ou fuga de seu corpo.

Quando uma ameaça gera sentimentos de raiva, você tende a se defender do perigo. A raiva costuma ser exibida através de:

  • Expressões faciais: “cara feia” ou olhar furioso
  • Linguagem corporal: assumir uma postura firme ou ignorar
  • Tom de voz: falar com voz mais grossa, grave ou gritar
  • Respostas fisiológicas: suar ou ficar vermelho
  • Comportamentos agressivos: bater, chutar ou arremessar objetos

Embora a raiva seja frequentemente considerada uma emoção negativa, às vezes pode ser uma coisa boa. Pode ser construtivo para ajudar a esclarecer suas necessidades em um relacionamento e, também, pode motivá-lo a agir e encontrar soluções para coisas que o estão incomodando.

A raiva pode se tornar um problema, no entanto, quando é excessiva ou demonstrada de maneiras que não são saudáveis, perigosas ou prejudiciais para os outros. A raiva descontrolada pode rapidamente se transformar em agressão, abuso ou violência.

Esse tipo de emoção pode ter consequências mentais e físicas. A raiva descontrolada pode dificultar a tomada de decisões racionais e pode até ter um impacto sobre sua saúde física. 

Surpresa

A surpresa é outro dos seis tipos básicos de emoções humanas originalmente descritos por Eckman. A surpresa é geralmente bastante breve e é caracterizada por uma resposta fisiológica de susto após algo inesperado. 

Esse tipo de emoção pode ser positiva, negativa ou neutra. Uma surpresa desagradável, por exemplo, pode envolver alguém pulando de trás de uma árvore e assustando você enquanto caminha para o carro à noite.

Um exemplo de surpresa agradável seria chegar em casa e descobrir que seus amigos mais próximos se reuniram para comemorar seu aniversário. A surpresa costuma ser caracterizada por:

  • Expressões faciais: levantar as sobrancelhas, arregalar os olhos e abrir a boca
  • Respostas físicas: saltar para trás
  • Reações verbais: gritar ou engasgar

A surpresa é outro tipo de emoção que pode desencadear a resposta de luta ou fuga. Quando assustadas, as pessoas podem experimentar uma explosão de adrenalina que ajuda a preparar o corpo para lutar ou fugir. 

A surpresa pode ter efeitos importantes no comportamento humano. Por exemplo, a pesquisa mostrou que as pessoas tendem a notar eventos surpreendentes de forma desproporcional.

É por isso que quando vemos eventos surpreendentes e incomuns no noticiário eles tendem a se destacar mais na memória do que outros. A pesquisa também descobriu que as pessoas tendem a ser mais influenciadas por argumentos surpreendentes e aprendem mais com informações surpreendentes.

Outros tipos de emoções

As seis emoções básicas descritas por Eckman são apenas uma parte dos muitos tipos diferentes de emoções que as pessoas são capazes de experimentar. A teoria de Eckman sugere que essas emoções centrais são universais em todas as culturas de todo o mundo.

No entanto, outras teorias e novas pesquisas continuam a explorar muitos tipos diferentes de emoções e como são classificadas. Eckman mais tarde adicionou uma série de outras emoções à sua lista, mas sugeriu que, ao contrário de suas seis emoções originais, nem todas poderiam ser necessariamente codificadas por meio de expressões faciais. Algumas das emoções que ele mais tarde identificou incluem:

  • Diversão
  • Desprezo
  • Contentamento
  • Constrangimento 
  • Excitação
  • Culpa
  • Orgulho de realizações
  • Alívio
  • Satisfação
  • Vergonha

Outras teorias sobre as emoções

Como acontece com muitos conceitos em psicologia, nem todos os teóricos concordam sobre a classificação das emoções ou quais são as emoções básicas. Embora a teoria de Eckman seja uma das mais conhecidas, outros teóricos propuseram suas próprias ideias sobre quais emoções constituem a essência da experiência humana. 

Por exemplo, alguns pesquisadores sugerem que existem apenas duas ou três emoções básicas. Outros sugerem que existe uma espécie de hierarquia das emoções. Emoções primárias como amor, alegria, surpresa, raiva e tristeza podem ser subdivididas em emoções secundárias.

O amor, por exemplo, consiste em emoções secundárias, como afeto e saudade. Essas emoções secundárias podem então ser divididas em emoções terciárias. A emoção secundária de afeto inclui emoções terciárias, como gostar, cuidar, compaixão e ternura.

27 emoções diferentes

Os autores Alan S. Cowen e Dacher Keltner constataram a existência de 27 emoções distintas depois de analisar as respostas de mais de 800 homens a mais de 2.000 videoclipes  Depois, eles criaram um mapa interativo para demonstrar como essas emoções estão relacionadas entre si.

“Descobrimos que 27 dimensões distintas, não seis, eram necessárias para explicar a maneira como centenas de pessoas relataram os sentimentos de maneira confiável em resposta a cada vídeo”, explicou o pesquisador sênior Dacher Keltner, diretor do Greater Good Science Center.

Em outras palavras, as emoções não são estados que ocorrem isoladamente. O estudo sugere que existem níveis de emoção e que esses diferentes sentimentos estão profundamente inter-relacionados.

Alan Cowen, o principal autor do estudo e estudante de doutorado em neurociência na Universidade de Berkeley, sugere que esclarecer a natureza de nossas emoções pode ser importante para ajudar cientistas, psicólogos e médicos a aprender mais sobre como as emoções constituem a atividade cerebral, comportamento e humor. Após compreender melhor esses estados, ele espera que os pesquisadores possam desenvolver tratamentos melhores para condições psiquiátricas.

Concluindo

As emoções desempenham um papel crítico em como vivemos nossas vidas. Elas influenciam o modo como nos envolvemos com outras pessoas em nosso dia a dia e afetam as decisões que tomamos. Ao compreender alguns dos diferentes tipos de emoções, você pode entender como as expressa e mensurar o impacto que elas têm no seu comportamento. 

É importante lembrar, porém, que nenhuma emoção é uma ilha. As emoções que você sente tem muitas nuances e são complexas, e trabalham juntas para criar o tecido rico e diverso de sua vida emocional. 


Fonte: verywellmind.com


Para você que precisa aprofundar o entendimento sobre as emoções e a cognição humana a partir de uma perspectiva neurocientífica, o curso Imersão em Neurociência é imperdível!

neurociencia
Conheça mais sobre o curso clicando aqui!