Por que mentimos? A neurociência pode explicar

Estou bem.

Claro que eu te amo.

Eu vou te ligar.

Não, essa calça jeans não te engordou.

Nós mentimos.

Todos nós.

Mentimos para manter as aparências, para evitar ferir os sentimentos de outras pessoas, para impressionar os outros, para fugir da responsabilidade, para esconder crimes, como um mecanismo social, para evitar conflitos, para sair mais cedo do trabalho e muitos outros motivos.

E mentimos muito.

A mentira custa bilhões ao governo e às empresas, arruína relacionamentos, prejudica aquilo com que nos importamos e até tira vidas. Quanto mais matéria branca ou quanto mais conexões existirem no córtex, maior o potencial que uma pessoa tem para mentir.

Bella DePaulo, Ph.D., psicóloga da Universidade da Virgínia, confirmou que mentir é uma condição de vida. Em sua pesquisa, ela descobriu que tanto homens quanto mulheres mentem em aproximadamente um quinto do tempo das interações sociais que duram 10 minutos ou mais. E, ao longo de uma semana, enganamos cerca de 30% das pessoas com quem temos interações.

As mulheres são mais propensas a contar mentiras altruístas para evitar ferir os sentimentos de outras pessoas, e os homens são mais propensos a mentir sobre si mesmos.

DePaulo descobriu que os homens mentem com mais frequência para impressionar. Uma conversa típica entre dois homens contém cerca de oito vezes mais mentiras sobre si mesmos do que mentiras sobre os outros.

O cérebro e a mentira

Quando mentimos, três partes principais do nosso cérebro são estimuladas.

Primeiro, o lobo frontal (do neocórtex), que tem a capacidade de suprimir a verdade, devido ao seu papel intelectual.

Em segundo lugar, o sistema límbico é ativado, devido à ansiedade que vem junto com a decepção (oi, amígdala!). Quando contrariamos nossa intuição, esse sistema “acende”, porque sentimos culpa ou estresse ​​quando mentimos.

E terceiro, o lobo temporal está envolvido porque ele é responsável por recuperar memórias e criar imagens mentais. Adicione a esta ação o córtex cingulado anterior, porque ajuda a monitorar erros, e também o córtex pré-frontal dorsolateral, porque está tentando o tempo todo controlar nosso comportamento. Nosso cérebro trabalha muito quando mentimos.

Quando dizemos a verdade, tudo fica muito mais tranquilo, porque nosso sistema límbico não fica estressado com a mentira e nosso lobo frontal não está tentando abafar a verdade.

Mentiras no trabalho

Em que local ou situação as pessoas mentem mais? No trabalho, ou, mais especificamente, para fugir dele.

De acordo com uma pesquisa recente da Zety, em 2020, empresa que presta consultoria de carreiras, com mais de 1.000 americanos, descobriram que 96% confessaram mentir para sair do trabalho. Segue um resumo:

  • As mentiras mais comuns incluem dor de estômago (84%), emergências familiares (65%), consulta médica (60%) ou mentir sobre a morte de um membro da família (31%);
  • Em média, uma pessoa usou sete desculpas diferentes para sair do trabalho em ocasiões diferentes;
  • Apenas 27% dos entrevistados que mentiram para sair do trabalho se arrependeram, e 41% dos entrevistados disseram que mentiriam novamente;
  • 91% das pessoas que inventam desculpas para sair do escritório nunca foram descobertas.

Mais homens do que mulheres foram pegos mentindo, e apenas 27% dos entrevistados que mentiram para sair do trabalho se arrependeram. Para quem foi descoberto, 70% se arrependeu de mentir. Mas, apesar de não se sentirem mal por terem mentido, 59% dos entrevistados disseram que não o fariam novamente.

Mas existe luz no fim do túnel: quanto mais velhos ficamos, a obrigação de mentir para ficar até o final do expediente diminui. Na pesquisa entre os jovens de 24 anos ou menos, 56% dos pesquisados disseram que mentiriam para sair do trabalho. Esse percentual diminuiu para 27% dos entrevistados com 59 anos ou mais.

Todos nós somos patologicamente mentirosos? Ou precisamos descobrir por que nos sentimos compelidos a inventar histórias ao invés de simplesmente dizer a verdade? Mentir para sair do trabalho é, pelo menos parcialmente, um problema cultural? E as pessoas que não se arrependem quando mentem?

Raio x da mentira

Para reduzir a quantidade de mentiras no seu local de trabalho, você deve observar se o ambiente é seguro. Tudo bem falar a verdade? Falhar não é imperdoável? É normal ser humano e não um super-herói, um robô ou uma engrenagem em um mecanismo? É normal ter sentimentos e precisar de uma pausa de vez em quando? Descubra.

  • Faça pesquisas regulares de engajamento dos funcionários;
  • Antes do início de cada reunião, pergunte como anda o estado emocional de todos;
  • Crie grupos de apoio se algumas pessoas precisarem de mais apoio.

Concluindo

Então, por que mentimos? Porque funciona para nós. Temporariamente, pelo menos. Mas com o tempo, contar a verdade é sempre o melhor caminho. Não é apenas moralmente bom, mas também vai tornar a sua vida muito mais simples.

Quantas vezes você mente? Por quê?


Fonte: forbes.com


O Curso Online Neurociência Para Todos oferece o conteúdo ideal para quem quer iniciar seus estudos na neurociência.

Neste programa são apresentados os conhecimentos da Neurociência que poderão ser aplicados nos diferentes campos de atuação profissional e pessoal, através da já conhecida linguagem acessível, da Dra. Carla Tieppo.

Milhares de pessoas já se beneficiam com o conhecimento da Neurociência para alcançar melhores resultados nos relacionamentos pessoais e profissionais.

Clique aqui para saber mais sobre o curso!