A Neurociência da Mudança

Saiba como o seu cérebro funciona, elimine hábitos indesejados e consolide as mudanças que deseja no seu comportamento

Quanto mais você executa uma ação ou se comporta de determinada maneira, mais isso fica fisicamente conectado ao seu cérebro. Essa incrível qualidade adaptativa do cérebro é conhecida como neuroplasticidade. Pode funcionar tanto a seu favor quanto contra você.

Neuroplasticidade

Neuroplasticidade é a capacidade do cérebro de mudar sua estrutura física e função com base nas experiências, comportamentos, emoções e até mesmo pensamentos vivenciados pelo indivíduo. Costumava-se acreditar que, exceto por alguns períodos específicos de crescimento na infância, o cérebro era praticamente fixo. Agora, sabemos que isso não é verdade. Seu cérebro é capaz de mudar até o dia da sua morte.

A neuroplasticidade ganhou validação científica na segunda metade do século XX e tem implicações de longo alcance para quase todos os aspectos da vida humana e da cultura, desde educação e medicina até relacionamentos e felicidade.

Essa capacidade de metamorfose torna seu cérebro extremamente resiliente, mas também o torna muito vulnerável a influências externas e internas, geralmente inconscientes.

Os hábitos estão conectados ao seu cérebro

Seu cérebro forma conexões neuronais com base no que você faz repetidamente em sua vida. Se preocupando com tudo o tempo todo. Escolhendo suas roupas . Começando a estudar no ensino médio. Meditando. Seus estados mentais, respostas e comportamentos frequentes tornam-se traços neurais.

Criar ou eliminar um hábito envolve uma mudança neuroplástica no cérebro. Uma pessoa deseja algo porque seu cérebro plástico se tornou sensível à substância ou experiência e anseia por isso.

Quando um desejo é satisfeito, a dopamina, um neurotransmissor de bem-estar, é liberada. A mesma injeção de dopamina que dá prazer também é um componente essencial da mudança neuroplástica. A dopamina auxilia na construção de conexões neuronais que reforçam o hábito.

A recompensa de dopamina vem após a primeira vez que você faz alguma coisa. Após o primeiro episódio de liberação, a dopamina é liberada cada vez mais cedo, até que apenas pensar em algo causa um pico de dopamina antecipado. A dopamina que precede a ação motiva você a realizar o comportamento no futuro.

Cada vez que você repete um comportamento, um padrão neuronal específico é estimulado e se fortalece em seu cérebro. Nós sabemos que neurônios que disparam juntos se conectam. Seu cérebro, sendo a máquina eficiente que é, escolhe o caminho mais rápido e fácil e, dessa forma, nasce um hábito ou vício.

Mudar seu comportamento significa mudar seu cérebro

Para eliminar maus hábitos, você precisa mudar seu cérebro. Quando se trata de mudar seu comportamento, você terá mais sucesso se estiver em paz com o seu cérebro e fazer com que ele trabalhe pra você. Você pode mudar seu comportamento e eliminar hábitos persistentes construindo caminhos alternativos em seu cérebro.

Quando você tenta adotar um novo comportamento pela primeira vez, precisa mobilizar seu córtex pré-frontal, o grande tomador de decisões, e inserir esforço, intenção genuína e reflexão no processo.

Depois de realizar a nova rotina vezes suficientes para que as conexões sejam feitas e fortalecidas em seu cérebro, o comportamento exigirá menos esforço, pois a nova ação será o padrão.

Você provavelmente já ouviu falar que leva 21 dias para formar um novo hábito. Infelizmente, isso é falso. A quantidade de tempo que leva para modificar o comportamento depende do que você está tentando fazer e pode variar de três semanas a meses ou até mais.

A relação entre a adoção de um novo comportamento e a automaticidade (agir sem ter que pensar a respeito) é muito parecida com subir uma colina que começa íngreme e gradualmente se nivela. No começo, você faz um progresso impressionante, mas os ganhos diminuem com o tempo.

Como estabelecer novos padrões de comportamento

Mudar seu comportamento não é fácil, mas pode ser feito e seu cérebro pode ajudá-lo. Veja como:

Conheça seus gatilhos

Determine o que causa a liberação antecipada de dopamina para motivá-lo a um comportamento ou hábito e evite-o. Se possível, remova os gatilhos de sua vida. Isso pode significar mudar seu ambiente completamente ou, pelo menos, realizar pequenas alterações. Se você deseja fazer uma mudança, seja eliminando um mau hábito ou criando um saudável, você precisa ter certeza de que seu ambiente vai endossar essa mudança.

Encontre maneiras de reduzir o estresse

Maus hábitos ou comportamentos indesejados são geralmente mecanismos de enfrentamento. Se você não se envolver com eles, ficará estressado e ficará ainda mais estressado porque não consegue agir da maneira usual. Você se beneficiará ao encontrar maneiras alternativas de desabafar, como exercícios, ioga, meditação, atenção plena, gratidão, sono e interação social.

Preste atenção

Você modificará seu comportamento com mais facilidade se envolver seu córtex pré-frontal prestando atenção ativamente. Seu cérebro tem recursos limitados. Quando você pára de prestar atenção porque está distraído ou estressado, seu cérebro volta aos padrões antigos e você acaba comendo meio litro de sorvete. Cada vez que você executa o novo comportamento ou ignora um impulso, você está tornando o antigo hábito mais fraco em seu cérebro.

Comece com pequenos passos

Mudar seu comportamento requer “força de vontade”, e isso mobiliza serotonina. A força de vontade é muito parecida com um músculo, que fica cansado e esgotado. Comece fazendo pequenas mudanças, uma de cada vez e que não exijam tanta força de vontade. Em vez de revisar drasticamente sua dieta de uma vez, basta cortar uma coisa. Algumas semanas depois, quando a primeira alteração for estabelecida, faça outra modificação para melhor.

Aumente sua serotonina

O aumento da serotonina ajuda o córtex pré-frontal a funcionar adequadamente e aumenta a “força de vontade”. Existem estudo científicos que exploram a relação do aumento da serotonina (e seus receptores) com alguns elementos de nosso dia a dia, como por exemplo: a luz do sol, massagem, exercícios físicos, relembrar memórias prazerosas e felizes, entre outros

Comemore as pequenas vitórias

Focar em pequenas conquistas e realizações ao longo do caminho mantém o fluxo de dopamina e ajuda você a se manter motivado. Na verdade, a ciência mostra que desviar sua atenção do objetivo de longo prazo e apenas se concentrar e estabelecer o seu novo hábito um pouco a cada dia tem mais sucesso.


Fonte: https://thebestbrainpossible.com/the-neuroscience-of-changing-your-behavior/


Para você que precisa aprofundar o entendimento sobre as emoções e a cognição humana a partir de uma perspectiva neurocientífica, o curso Imersão em Neurociência é imperdível!

neurociencia
Conheça mais sobre o curso clicando aqui!